MÓVEIS - ECOLOGIA - RESPEITO - DESIGN - QUALIDADE - CURSOS - ECOPRODUTOS - TECNOLOGIA - HARMONIA - PROFISSIONALISMO


Navegue em
TELA CHEIA

Design de Móveis.





Decoração



Cursos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BAMBU
"Belo porque é simples e simples porque é belo"

Planta nobre, sagrada, de grande respeito em todo planeta. Na sua história é símbolo da multiplicação e generosidade.

Admirada, honrada em todas as nações que a conhece. No japão ela representa "BUDA"; os chineses acreditam que o seu oco é um compartimento de pureza e morada dos deuses e Monteiro Lobato nos disse que é a morada do gnono Saci.

Pesquisas nos mostram que é tão durável e resistente quanto o concreto, madeira, e em relação à tração é comparada ao aço.

Planta arborecente da família das gramíneas e da cana-de-açúcar; constituída de fibras, colmos ocos e nervuras verdes, amarelas ou estriadas; de origem asiática, encontra-se espalhada por todas as regiões tanto em locais secos, quanto onde há neve e pelo mundo vem sendo usada em diversos setores da economia e da sobrevivência humana; seja na alimentação, na produção do álcool, celulose, reflorestamento, artesanato, decoração, movelaria, estruturas e construções.


APELIDOS

Bambu Balde - Bambu Gigante
Bambu Bengala - Bambu Chinês
Bambu Comum - Bambu da Índia
Bambu Chinês - Bambu caniço
Bambu Grácil - Bambu Taquara
Bambu Imperial - Bambu Brasil
Bambu Trepador - Bambu Taquaril
Bambu Preto - Bambu Verde
Bambu Bambuzinho

Classificação Botânica
Família = gramíneas

Morfologia
Bambu é uma planta verde-amarela que nunca perde suas folhas. É uma planta dura, porém flexível. Já nasce no diâmetro e pode atingir até 30 metros de altura em até 6 meses, porém sua idade adulta é de 3 a 6 anos.

ESPÉCIES

Planta pesquisada e estudada por admiradores e universidades em todo o mundo, chegou-se a conclusão "sem números exatos" que existem 180 gêneros, os quais se dividem em aproximadamente 5.000 espécies em todo o mundo e no Brasil encontramos aproximadamente 200 espécies diferentes, sendo quatro nativas.
JATIVOCA e GAMBAÚBA na região Norte; TAQUARA e TAQUARUÇU em Minas Gerais.

ESPÉCIES MAIS ENCONTRADAS E UTILIZADAS NO BRASIL:

- PHYLLOSTACHYS HETEROCICLA (Bambu Chinês)
São bambus que atingem até 12 metros de altura com diâmetro variando entre 2 a 6 cm, com entre-nós próximos e baixíssimo teor de amido e açúcar; forma de crescimento alastrante, atinge a idade adulta com 3 anos e cujo tratamento é feito a base de fogo. É muito utilizado para artesanato, movelaria e até em construções.

- PHYLLOSTACHYS VIRIDIS - (Vara de pesca)
Utilizado para pescaria, decoração e artesanato.

- PHYLLOSTACHYS MAKIKO e KIKO (Bambu Joelho)
Utilizado na decoração e paisagismo.

- BAMBUSA TULDA E TULDÓIDES
Bambus que na idade adulta (3 anos), atingem até 15 metros de altura e diâmetro entre 3 e 9 cm. Crescem de forma aglomerada com entre-nós longos variando 3 a 70 cm e cor verde-escura. Utilizado no trançado e cestaria.

- BAMBUSA VULGARIS VITATA (Bambu Brasil ou Imperial)
Espécie de bambu gigante com diâmetro de até 16 cm e altura de até 20 mt. Suas cores amarelo com listras verdes o torna um dos mais belos, porém de altíssimo teor de amido e açúcar é facilmente atacado por pragas. Muito utilizado na fabricação de celulose (Todo saco de cimento no Brasil é feito das fibras deste bambu).

- BAMBUSA VUGARES CHARADER
Irmão do bambu Imperial, de cor verde-escuro brilhante com altíssimo teor de amido e açúcar é muito utilizado na fabricação de celulose, cestaria e trançado.

- DENDROCALUMUS GIGANTEUS
Espécie de bambu gigante com diâmetro entre 10 e 22 cm, podendo atingir até 30 m com médio de teor de amido e açúcar. Deve ser tratado à base de água, é utilizado na contrução civil, movelaria, etc.

- BAMBUSA GUADUA
Bambu gigante de origem colombiana, mas encontrado com facilidade no centro-oeste do Brasil com baixíssimo teor de amido e açúcar e forma de crescimento alastrante. Ótimo para construção civil.

OUTRAS ESPÉCIES E UTILIDADES

PHYLLOSTACHYS PURPURATA - Usado em jardins
PHYLLOSTACHYS ÁUREA - Usado na ornamentação
BAMBUZA GRACILIS - Usado na construção de vara de pesca

 

GÊNEROS - Região de Origem


- ARUNDINÁRIA - Natural do Himalaia, China, América e África

- BAMBUSA - Ásia tropical, América e África

- BOSBRANIA - China

- BRACHYSTACHYUM - China

- CHYMONOBAMBUSA - Himalaia - China e Japão

- CHUSQUEA - América do Sul

- DENDROCALAMUS - Ásia tropical

- DREPANOSTACHYUM - Europa

- HIBANOBAMBUSA - Europa

- INDOCALAMUS - China, Malásia, Europa e América.

- OTATEA - México e Guatemala

- PHYLLOSTACHYS - China,Vietnã, Índia e Nepal

- PLEIOBLASTUS - China e Japão

- PSEUDOSASA - Ásia

- SASA - Japão

- SASAELLA - Japão

- SASAMORPHA - Leste da Ásia

- SEMIARUNDINARIA - Leste da Ásia

- SHIBATAEA - China e Japão

- SIMOBAMUSA - China e Europa

- SINARUNDINÁRIA - China e Himalaia

- THAMNOCALAMUS - Ásia


TRATAMENTOS NATURAIS


TRATAMENTO POR AQUECIMENTO à base de fogo
-Utiliza-se botijão de gás butano P13 e maçarico com chama média ou forno.
-Consiste em passar o fogo lentamente na vara, sempre da raiz para a ponta, sem voltar, até que a vara mude de cor (passe do verde para o amarelo claro). Utiliza-se, ainda, um pano umedecido com óleo para limpesa.

TRATAMENTO POR IMERSÃO
- Corte a vara na idade adulta (3 a 6 anos)e deixe em pé na sombra por 10 dias. Depois lave e mergulhe em um tanque por um período de 35 dias (Em água parada, trocar uma vez por semana), depois tirar, lavar e deixar em pé na sombra por mais 10 dias para secagem.

TRATAMENTOS QUÍMICOS

- Método transpiração de folhas.
- Método com tampa - substituição de seiva.
- Método impermeabilização.
- Método a base de fumaça.
*todo produto químico é prejudicial à saúde.


CULTIVO

As variedades devem ser plantadas de acordo com o uso pretendido.

CELULOSE
- BAMBUZA VULGARIS
- DENDROCALAMUS GIGANTEUS
- PHYLLOSTACHYS LAMBRISOIDES
ÁLCOOL
- BAMBUSA VULGARIS
ALIMENTAÇÃO
- BAMBUSA ASPER
- BAMBUSA VULGARIS
- DENDROCALAMUS
- PHYLLOSTACKYS
ORNAMENTAÇÃO
- BAMBUSA GRACILIS
- PHYLLOSTACHYS NIGRA
- PHYLLOSTACHYS PURPURATA
- ARUNDINARIA
CONTRUÇÃO
- DENDROCALAMUS GIGANTEUS
- ASPER
- STRICTUS
- BAMBUSA GUADUA
- PHYLLOSTACHYS
ARTESANATO
- BAMBUSA VULGARIS
- TULDA
- TULDOIDES
- PHYLLOSTACHYS

PLANTIO - DEVE SER REALIZADO EM PERÍODO CHUVOSO.

CORTE - MESES SECOS, de preferência, na lua minguante e na idade adulta de 3 a 6 anos.

TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO

A - TÉCNICA BRASILEIRA
Consiste em embuchar (encher o oco do bambu com pedaço de madeira)
pregar - parafusar os ligamentos e dar acabamento com cipó-junco.

B - TÉCNICA UNIVERSAL - NOSSA METODOLOGIA
É a união das três técnicas mais antigas, respeitados e duráves do planeta.

C - TÉCNICA CHINESA
Encaixe de uma vara mais fina dentro de uma mais grossa, cortes, travamentos e encurvamento.

D - TÉCNICA INDIANA
Utilização do tabique (prego feito do próprio bambu)

E - TÉCNICA JAPONESA
Especialmente para acabamento, usa-se o cipó junco pra se fazer amarração e trançado.

F - TÉCNICA COLOMBIANA
Utilização de ferro, parafuso e arame nos ligamentos.

 

Cadastre-se aqui e receba gratuitamente
nossa newsletter com novidades e informações.

 
MÓVEIS - ECO-PRODUTOS - RESPEITO - DESIGN - QUALIDADE - CURSOS - TECNOLOGIA - HARMONIA - PROFISSIONALISMO
.....
..
...................................................................................................................................................................................................................................................
Visitas desde maio/2006